• Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home

O Zé entrou pelo cano!


Estava em casa descansando um pouco, quando ouvi um barulho estranho atrás da casa. Fui ver o que era e de repente me aparece uma figurinha se batendo que nem louco, tentando tirar da cabeça algo que o incomodava.

Éra o Ze-garto, um amiguinho que mora nos fundos da minha casa. Não sei como ele conseguiu arrumar este chapéu esquisito, mas acho que ele não estava gostando muito do modelo e do tamanho.

Peguei o Zé e começamos a tentar tirar este objeto da sua cabeça. Começamos colocando água e sabão, mas não adiantou muito, pois estava tão apertado que não saia água por baixo do cano (entre o pescoço e o cano), então resolvi adotar outra medida mais radical. Peguei um alicate de corte e fui tentar cortar o cano.

O Zé já estava até meio zonzo, acho que estava faltando respiração. Começei cortando por trás, onde estava mais folgado, ele ficou quietinho e não se mexia, eu já comecei a ficar preocupado, pois ele podia estar asfixiado. Continuei cortando e o Zé já estava até se sentindo melhor, pois conforme colocava a ferramenta entre o cano e a sua cabeça, por vezes devia doer e ele reclamava com uma espécie de pio.

Assim foi por mais de 30 minutos e o Zé me olhava e parecia que ele estava entendendo o que eu estava fazendo ou assim eu achava. Não importa, pois ele já notara que a coisa estava melhorando. Assim foi até que consegui retirar aquela coisa, que o Zé se enfiou.

Quando tirei de entorno do pescoço, o Zé me olhou e deu aquele sorrizo, pode não parecer, mas é. Ele não fez isto mais em momento algum. Me certifiquei que esta va tudo bem, forcei algumas posições incomodas para ele, para ver se reagia bem, olhei bem para ver se não tinha nenhum ferimento mais grave do que aquele que teve quando tentei segura-lo. Como estava tudo bem, tirei umas últimas fotos e soltei o bicho.

De pronto ele não acreditou muito que erá só aquilo, ficou meio que parado mas na primeira oportunidade,  saiu numa velocidade incrível. Por fim, ele perdeu um pequeno pedaço da cauda, coisa que irá recuperar em breve (regeneração), e eu machuquei meu joelho quando tentei segurar o bicho.
O bom disso tudo, é saber que amanhã ele virá na porta da cozinha buscar comida como todos os dias fazia e talvez nem se lembre do ocorrido mas o importante é a  satisfação que a gente sente em poder atuar desta forma, protegendo e cuidando deles.

Na sequência as fotos de toda operação.